Psoríase: O que é? Tem cura? Saiba tudo sobre essa doença!

psoríase

A psoríase é uma doença inflamatória, crônica que atinge cerca de 1% a 3% da população mundial, o que equivale a mais de 125 milhões de pessoas no mundo. Só no Brasil são cerca de 5 milhões de pessoas, entre homens e mulheres contaminadas por essa dermatose. Ela se manifesta principalmente por lesões na pele, em forma de placas avermelhadas, espessas, com descamação, podendo surgir em qualquer lugar do corpo.

Tipos de Psoríase

Existem vários tipos de psoríase. São elas:

  • Psoríase Vulgar ou de Placa – é a mais comum e atinge cerca de 90% dos pacientes. Suas lesões podem surgir em qualquer parte da pele, sendo mais frequentes no couro cabeludo, cotovelos e joelhos.
  • Psoríase Invertida ou Flexural – um tipo raro que afeta entre 3% e 7% dos pacientes com a doença. Suas lesões são mais úmidas e localizadas em áreas de dobras e mais expostas ao suor, como axilas, partes de trás dos joelhos, cotovelos e virilha.
  •  Gutata – são pequenas lesões em formas de gotas, localizadas no tronco, braços e coxas. Ocorrem com maior frequência em crianças e jovens.
  • Psoríase Eritrodérmica – suas lesões atingem 75% do corpo ou mais, com manchas vermelhas que podem coçar e arder de forma intensa. Podem mudar de tamanho, forma e localização, e em casos excepcionais atingir toda a pele.
  •  Ungueal – suas lesões afetam os dedos, unhas dos pés e das mãos em forma de manchas amareladas.
  •  Antropática – surge em forma de dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés e nas grandes articulações como a do joelho, apresentando inflamação na pele e descamação. Esse tipo ocorre em 8% dos casos.
  • Psoríase Postulosa – suas lesões aparecem em forma de pus nos pés e nas mãos ou espalhados pelo corpo, causando febre, calafrios, fadiga e coceira intensa.
  • Psoríase Palmo-plantar – suas lesões aparecem como pequenas rachaduras nas palmas das mãos e nas solas dos pés.

Quando surge?

A psoríase pode surgir em qualquer fase da vida, sendo mais frequente ocorrer antes dos 30 anos e após os 50 anos. Sua causa é desconhecida, porém, vários fatores podem contribuir com o surgimento. A hereditariedade por exemplo, tem um papel fundamental no desenvolvimento da doença. Aproximadamente, um terço dos pacientes possuem parentes com psoríase. Outros fatores também podem contribuir para desencandear a dermatose, como o estresse emocional e o trauma físico. É comum o surgimento de lesões de psoríase em áreas submetidas a algum tipo de trauma.

Embora não exista cura para essa dermatose, a psoríase não é contagiosa. O paciente pode conviver normalmente com outras pessoas. Mas, muitos tratamentos estão disponíveis para controlar os sintomas, como por exemplo: cremes e pomadas, fototerapia, que é um tratamento a banhos de luz, medicações orais e injetáveis. A escolha do tratamento depende de vários fatores, como a gravidade da doença, idade, sexo, entre outros, que precisam ser analisados.

É importante informar que o reconhecimento precoce é imprescindível para o tratamento adequado e para evitar o agravamento do quadro, melhorando assim, a qualidade de vida do paciente.

Dicas importantes

  • Hidrate bem a pele. O ressecamento pode favorecer o aparecimento das lesões;
  •  Antes de se expor ao sol utilize um creme hidratante ou terapêutico;
  • Evite consumir bebidas alcoólicas;
  •  Não se desgaste emocionalmente. O estresse tem papel importante no aparecimento das lesões;
  • Não abra mão do lazer por causa das lesões. Psoríase não é contagiosa, e se afastar de tudo pode comprometer o seu estado emocional, aumentando o problema;
  •  Visite regularmente o dermatologista e siga suas orientações. Isso o ajudará a controlar as crises.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *